O que é inteligência emocional e como desenvolvê-la?

por | nov 5, 2022

Entender os seus sentimentos e suas emoções está intimamente ligado com o autoconhecimento – saber quem você é, quais são suas reações a determinados eventos e o que você sente é fundamental. Porém, a inteligência emocional vai um pouco além disso: é quando você, além de ter essa compreensão sobre si mesma, consegue controlar suas emoções sem magoar outras pessoas.

A boa notícia é que a inteligência emocional pode ser desenvolvida, mas é preciso adquirir certos conhecimentos a respeito de si mesmo para isso. Então, afinal, o que é inteligência emocional? E como ela pode ser desenvolvida?

 

 O que é inteligência emocional?

A inteligência emocional pode ser definida como um conceito da Psicologia que caracteriza o indivíduo capaz de identificar seus sentimentos e suas emoções com mais facilidade. O termo foi amplamente difundido pelo psicólogo Daniel Goleman, que é autor de um livro de mesmo nome.

Assim, uma pessoa com inteligência emocional consegue lidar com outras pessoas e com suas próprias emoções, além de compreender seus sentimentos, por meio do desenvolvimento de certas habilidades.

Um conceito muito confundido com inteligência emocional é o de QI (Quociente de Inteligência). Enquanto este diz respeito a conhecimentos de cunho intelectual, acadêmico ou científico, aquele sabe reconhecer e lidar com sentimentos e emoções, visando o desenvolvimento pessoal e profissional.

 

Quais as vantagens de desenvolver inteligência emocional?

Como falamos anteriormente, a boa notícia é que a inteligência emocional pode ser desenvolvida e há inúmeras vantagens em desenvolvê-la.

A inteligência emocional favorece o bom relacionamento entre as pessoas, permitindo maior compreensão entre suas relações pessoais, além de melhorar a comunicação no trabalho. Ou seja, desenvolver inteligência emocional poderá melhorar tanto sua vida pessoal quanto profissional.

Profissionais que conseguem desenvolver inteligência emocional são cada vez mais valorizados, visto que, ao reconhecerem suas próprias limitações, conseguem encontrar uma maneira de melhorá-las. E essa característica é muito valorizada no trabalho, já que demonstra que o profissional é uma pessoa comprometida com a busca pela excelência.

Outras características valorizadas no ambiente profissional também são comuns em quem consegue desenvolver sua inteligência emocional, tais como: melhora da relação com colegas e líderes, maior poder de decisão, crescimento da produtividade e melhor administração do tempo.

Além disso, desenvolver inteligência emocional pode influenciar positivamente a saúde física e mental. Psicologicamente porque ela consegue prevenir alguns transtornos como ansiedade e depressão; fisicamente porque torna as pessoas menos estressadas e tristes, fazendo com que não desenvolvam doenças mais leves, como herpes e até doenças mais graves, como câncer, diabetes e doenças cardíacas.

 

Como desenvolver a inteligência emocional?

Para desenvolver a característica de inteligência emocional em você, outra dica muito importante que deve ser levada em conta: o autoconhecimento. Por meio dele, é possível você entender seus sentimentos, suas reações e pensamentos, tomando consciência de si mesma.

Veja algumas técnicas que podem lhe ajudar a desenvolver sua inteligência emocional.

Observação e análise do seu comportamento

A partir da observação, você conseguirá entender quais são as reações da mente e do corpo perante alguns acontecimentos. Depois disso, é importante analisar se esses sentimentos foram bons ou ruins, como você lidou e o que desencadeou-os.

A inteligência emocional está neste momento: quando você é capaz de compreender todas as situações sem reagir de imediato.

Como desenvolver a inteligência emocional?

Pense antes de agir

Um dos fatores para desenvolver uma inteligência emocional é não se deixar agir por impulso. Agir sem pensar é natural do ser humano e pode acontecer com qualquer pessoa, porém a impulsividade não é uma boa aliada na maior parte das situações.

Portanto, o ideal é conseguir dominar os impulsos e as emoções antes de tomar qualquer decisão precipitada – e que pode gerar arrependimento depois. E é neste momento que fazer a observação e a análise de seus comportamentos e emoções entram em jogo.

Ao perceber que você irá “sair do sério”, tente recompor a calma e não tome nenhuma decisão. Exercícios como respiração, meditação, caminhada, corrida e pilates podem lhe ajudar a saber o que fazer neste momento.

Aprenda a lidar com a pressão

O estilo de vida está cada vez mais corrido e nossas responsabilidades só aumentam. Cuidar da casa, trabalhar, estudar, ir na academia… a lista não acaba nunca. Começamos a nos cobrar muito e, quando vemos, sucumbimos à pressão.

Por isso, saber priorizar nossas tarefas e aceitar que não conseguimos fazer tudo é um jeito de desenvolver sua inteligência emocional.

Desenvolva a empatia e expresse-se mais

Às vezes, não conseguimos expressar nossas emoções com o que realmente estamos sentindo. Por isso, saber se expressar e ter empatia pelo outro pode ser fundamental na hora de cultivar boas relações.

Claro, isso também está relacionado com observar-se e entender-se para então conseguir se expressar adequadamente para o outro. Porém, pode acontecer de não conseguirmos dizer exatamente aquilo que estamos sentindo ou pensando – por isso, ter empatia pelo outro e saber que ele também pode não conseguir se expressar da melhor forma possível é uma das maneiras de inteligência emocional.

Aprenda a “responder” ao invés de “reagir”

Nós seres humanos possuímos dois cérebros, segundo Daniel Goleman: o emocional e o pensante. Quando algo acontece em nossas vidas, o primeiro a sentir é o cérebro emocional. Por isso, reagir a qualquer tipo de acontecimento mostra uma impulsividade regida pelo lado emocional.

O nosso cérebro emocional sempre será o primeiro atingido por qualquer acontecimento, o que não quer dizer que ele deverá ser o primeiro a agir também. Pessoas dotadas de inteligência emocional sabem identificar os acontecimentos e suas emoções e não agir instintivamente – param, observam e pensam numa solução.

Conheça os seus limites

Benefícios da inteligência emocionalComo o autoconhecimento faz parte do desenvolvimento de uma inteligência emocional assertiva, conhecer os seus limites e respeitá-los está incluso no processo. Ou seja, ao conhecer seus sentimentos, suas emoções e reações aos acontecimentos externos a você, você saberá identificar em quais situações vale a pena se expor.

Respeitar-se e entender o quão longe você pode chegar é uma característica de inteligência emocional, pois sabemos nossas fraquezas e forças e o que se adequa ou não em nossas vidas.

Entender o que é inteligência emocional poderá fazer uma grande diferença em sua vida, já que isso ajudará você a lidar melhor com situações e com as pessoas. Todo esse processo passa pelo autoconhecimento e por um respeito por si própria.

 

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.